Aberta a exposição “Maria de todos os santos” no Espaço São José Liberto


Rosa Helena Neves, diretora do IGAMA, com representantes do grupo EntreSantos (esq.) e representantes de Secretarias parceiras do ESJL (dir.) | Fotografia: ASCOM/IGAMA

Foi realizada na última quarta-feira, 04, a abertura da exposição ‘Maria de todos os santos’, na Capela São José, do Espaço São José Liberto. Ao todo, 50 imagens de santos, santas e Marias, pintadas à mão pelo grupo EntreSantos Artesanatos, fazem parte do acervo que está aberto para visitação do público até o dia 30 de outubro.
Na ocasião, a Diretora Executiva do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia, Rosa Helena Neves, em seu discurso de abertura, relembrou o inicio da parceria com o EntreSantos, destacou a importância do artesanato religioso na cidade de Belém, que tem o Círio de Nazaré, e agradeceu ao Governo do Pará, às Secretarias de Desenvolvimento, Mineração e Energia, de Turismo e de Cultura pela parceria na realização do evento.
Em seguida, Sérgio Menezes, Diretor de Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviços da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, também proferiu algumas palavras, destacando a importância da agregação de valor que as imagens sacras possuem e afirmou que “um dos motes de todo o trabalho da SEDEME é agregar valor, então,  nada melhor do que realizar um evento desses, às portas do Círio, para mostrar o valor que o paraense tem”.
Visitante da exposição "Maria de todos os santos" | Fotografia: ASCOM/IGAMA

Após a abertura, os convidados assistiram à apresentação de canções marianas com os músicos Adson Baia, Marina Souza e Gizele Cristina, da Universidade do Estado do Pará. O evento atraiu público como a Rafaela Lima advogada, que visitou a exposição pela primeira vez e conta o que achou: “as imagens muito bonitas e elas tão bem vivas, a pintura tá bem bonita, bem realista”.
A exposição “Maria de todos os santos” é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) – organização social que gerencia o Espaço São José Liberto, em parceria com o coletivo de artesãs EntreSantos e apoio da Universidade do Estado do Pará por meio do Núcleo de Arte e Cultura.

Serviço
Exposição “Maria de todos os santos” – Capela São José – ESJL
Visitação: de 2º a sábado, de 09h às 18h30 | Domingo e feriados: de 10h às 18h
Horários especiais: 07/10 – de 09h às 15h e 08/10 – de 14h às 18h

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe exposição “Maria de todos os santos” para o Círio 2017

Imagens sacras são tema da exposição | Fotografia: Tereza e Aryanne Fotografia

Pelo 3º ano, o Espaço São José Liberto recebe a exposição de imagens sacras do grupo EntreSantos sob o tema “Maria de todos os santos”. A abertura será no dia 04 de outubro, partir das 18h, na Capela São José, do Espaço São José Liberto. Serão apresentadas cerca de 40 peças que terão medidas entre 25 cm e 50 cm e ficarão em exposição comercial aberta ao público até o dia 30 de outubro.
As peças são produzidas no atelier do EntreSantos, criado em 2013, que é formado pelas artesãs Amélia Franco, Lilia Chaves, Betty Castro, Cidia Martins e Linda Toscano. O coletivo de amigas iniciou as atividades quando Amélia Franco começou a ensinar para as demais a técnica de pintura no santo barroco.
Desde então, as reuniões se tornaram frequentes: “A finalidade do grupo era se reunir para bater papo, pintar os santos... É uma terapia, uma distração desse grupo. Depois de um tempo, estávamos com um número muito grande de santos e nós precisávamos achar algum lugar para comercializar esses santos e foi aí que nós criamos a EntreSantos Artesanatos”, conta Amélia. As peças começaram, então, a ser vendidas por meio do Facebook.
Em 2015, o grupo entrou em contato com o Espaço São José Liberto para comercializar os santos na Casa do Artesão e, então, receberam o convite para expor as imagens na Capela São José, no período da Festa do Círio. A primeira temática foi “Nazaré e outras Marias”, e, no ano seguinte, o tema foi “Nossa Senhora de Nazaré entre santos”.
Mostrar as peças no ESJL é uma grande oportunidade, já que “uniu a arte e o espaço da Capela, é uma forma de homenagear a Nossa Senhora de Nazaré todo ano, que faz parte do nosso Círio”, afirma Lilia Chaves, outra integrante do grupo, se referindo ao evento ser realizado no período nazareno.
Além da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, típicas do mês de outubro também serão apresentadas imagens outros santos, feitas sob diversas técnicas de estilo e pintura que foram desenvolvidas pelas artesãs que imitam diversos materiais como a porcelana, ferro, marfim e madeira, além de imagens no tradicional estilo barroco.
Nossa Senhora de Nazaré pintada em diversas técnicas | Fotografia: Tereza e Aryanne Fotografia

 “Todas nós já inventamos técnica por aqui”, afirma Lilia. Todas as peças são em gesso e o que as torna diferentes é o tipo de pintura feito sobre as imagens, sendo algumas desenvolvidas e criadas pelas próprias artesãs ao longo do tempo, a partir das misturas de tintas utilizadas no processo.
A exposição “Maria de todos os santos” é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) – organização social que gerencia o Espaço São José Liberto, em parceria com o coletivo de artesãs EntreSantos e apoio da Universidade do Estado do Pará por meio do Núcleo de Arte e Cultura.

Serviço
Abertura da exposição “Maria de todos os santos”: 04 de outubro, com abertura a partir das 19h, na Capela São José – ESJL, com programação cultural promovida pelo do Núcleo de Arte e Cultura da Universidade do Estado do Pará.
Visitação: de 2º a sábado, de 09h às 18h30 | Domingo e feriados: de 10h às 18h
Horários especiais: 07/10 – de 09h às 15h e 08/10 – de 14h às 18h

Ascom/IGAMA





Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Polo Joalheiro do Pará inaugura a exposição “Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé”

Missa realizada antes da abertura da exposição Joias de Nazaré | Fotografia: Carlos Sodré (Agência Pará)

Aberta a exposição ‘Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé’, no Espaço São José Liberto, na última quarta-feira, 27 de setembro. A mostra reúne peças criadas e produzidas por 82 empreendedores do setor de joias paraenses que participam o Programa Polo Joalheiro do Pará inspiradas na festa do Círio de Nazaré.
A programação iniciou com uma pequena procissão pelo ESJL em que a Diretora Executiva do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia, Rosa Helena Neves, acompanhou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré até o Anfiteatro Coliseu das Artes, onde foi celebrada uma missa pela Igreja da Nossa Senhora da Conceição e seu celebrante, o padre Adailson Oliveira da Silva, antes da abertura oficial da exposição. Após o ato religioso organizado, o público pode conferir de perto a produção joalheira local que reuniu pingentes, colares, brincos, pulseiras em ouro, prata e gemas minerais e outros materiais, como fitinhas do Círio. Os visitantes conheceram as peças ao som do Jazz Trio, da Escola de Música da Universidade Federal do Pará, que apresentou repertório musical durante o evento.

A designer e artista visual Celeste Heitmann, autora das telas usadas na ambientação do espaço de exposição da coleção de joias | Fotografia: Carlos Sodré (Agência Pará)
A ambientação da exposição ficou por conta de 11 telas, de 30 cm por 40 cm, e 01 tela, de 70 cm por 90 cm, produzidos pela designer e artista visual Celeste Heitmann. Ela se inspirou nos caminhos que Nossa Senhora de Nazaré percorre no segundo domingo de outubro: “os quadros são inspirados na procissão do dia da nossa rainha da Amazônia. É uma emoção muito grande, porque para o paraense realmente é o Natal”, explica Celeste. Os displays das joias foram produzidas artesanalmente pelo mestre e microempresário Guilherme Júnior.
Rosa Helena Neves (c) e integrantes do grupo de 82 empreendedores do setor de joias responsáveis pela coleção Joias de Nazaré 2017 | Fotografia: Carlos Sodré (Agência Pará)

A estudante do curso de Design da Universidade do Estado do Pará, Vivianne Gonçalves, e estagiária do Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico e Organizacional do IGAMA, produziu o bracelete ‘Fé’ cujo desenho ilustra o convite e a identidade visual da exposição. A inspiração foram as duas maiores procissões da festa religiosa e o caminho percorrido pelos fieis da Basílica Santuário de Nazaré até a Catedral da Sé, na Trasladação, e vice-versa, no Círio. Para Vivianne, o momento é relevante: “Eu acho que foi gratificante acima de tudo, foi importante essa oportunidade e essa experiência que eu tenho aqui no Espaço”. O bracelete é feito em prata e incrustação paraense, em que o azul representa o céu visto durante as romarias, com ourivesaria do microempresário Joelson Leão e produção do Projeto Lua Nova/ IGAMA.
Gestores do Espaço São José Liberto e representantes de vários órgãos estaduais que participaram da abertura da exposição “Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé” | Fotografia: Carlos Sodré (Agência Pará)

O evento reuniu autoridades como Jeannot Jansen, Secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social; Ana Cristina Resque, Diretora do Museu de Gemas da Secretaria de Estado de Cultura; Fátima Gonçalves, Diretora de Políticas para o Turismo, da Secretaria de Estado de Turismo; Dyjane Amaral, Secretaria Adjunta Gestão Administrativa, Sérgio Menezes, Diretor de Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviços e Marily Silva Germano, Diretora de Geologia, Mineração e Transformação Mineral da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia; Carlos Figueira, da Secretaria de Estado de Tursimo; Miguel Sampaio, vice-presidente da Associação Comercial do Pará; Carlos Capela, Pró-Reitor de Gestão e Planejamento da Universidade do Estado do Pará; professora Rosângela Gouvêa, também da Universidade do Estado do Pará, Poliana Bentes de Almeida, representando o Sindicato de Mineradores do Estado do Pará (SIMINERAL) Eneida Almeida, representante da 1º dama do Estado; e Mauro Chagas, prefeito de São Caetano de Odivelas.
A realização da 14ª edição da exposição “Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé” é do Governo do Pará, por meio das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e de Cultura (Secult), e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), com apoio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Universidade do Estado do Pará (Uepa) e Universidade Federal do Pará por meio da Escola de Música da UFPA (EMUFPA).
A exposição “Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé” fica aberta ao público no Espaço São José Liberto até 30 de outubro. Durante esse mês, o Espaço estará com horário diferenciado para atender a demanda de turistas que chegam à cidade para o Círio: abre de segunda-feira a sábados, de 09h às 18h30, enquanto aos domingos, o horário é de 10h às 18h. No dia 07 de outubro, o horário é de 09h às 15h e no dia 08, o Espaço funciona a partir das 14h até às 18h.

Serviço
Exposição Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé
Local: Espaço São José Liberto
Visitação: de 2º a sábado: 09h às 18h30; domingo e feriados: 10h às 18h
Horários especiais
07 de outubro: de 09h às 15h

08 de outubro: 14h às 18h




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Marcas paraenses lançam Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé no Espaço São José Liberto

Peça criada pela estudante de Design Vivianne Gonçalves 
Fotografia: Tereza e Aryanne Fotografia

Inspirada nos significados do Círio inaugura hoje, 27, a partir das 18h, no anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto, a exposição “Joias de Nazaré 2017 – Sentidos de Fé”. Em sua 14º edição, a mostra apresenta pingentes, colares, braceletes, brincos e outras peças produzidas por designers paraenses.
A exposição Joias de Nazaré/ 2017 “Sentidos de Fé” é uma iniciativa do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Mineração e Energia, em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura, o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia – IGAMA e apoio da Secretaria de Estado de Turismo e da Universidade Federal do Pará, por meio da Escola de Música (EMUFPA).
A mostra tem como objetivo incrementar a produção joalheira religiosa paraense tendo como inspiração a Festa do Círio de Nazaré. A coleção é produzida por designers e marcas do setor joalheiro local que participam do Programa Polo Joalheiros do Pará, configurando-se como um instrumento de difusão dessa produção local. Outra finalidade é contribuir para o fortalecimento do turismo religioso, neste sentido, integra a agenda turística do Estado, coordenada pela Secretaria de Estado de Turismo.
Apesar de todas as joias expressarem a cultura e a fé que emanam do Círio de Nazaré, essa coleção também apresenta a marca do trabalho de qualidade da joalheria paraense, portadora do DNA amazônico, traduz a forma de vida e a cultura da Amazônia Paraense, pois comunica a alegria, a beleza, o encantamento e a diversidade!
A exposição tem como acervo uma coleção de joias religiosas em ouro, prata e gemas minerais tipicamente brasileiras e paraenses, como madrepérola de rio, turmalina, crisoprásio, ametista, citrino, topázio azul, topázio rosa, safiras azuis, rubi, água marinha, diamante, pérolas, granada, praziolita, além do compósito de açaí. Com um trabalho de ourivesaria que valoriza o modus operandi do feito à mão na produção, foram utilizados materiais diversificados como fibra de miriti e palha da costa, fitilho de cetim, fitas do Círio e torçal. Quanto às técnicas, foram utilizados a ourivesaria tradicional, incrustação paraense, trançados em fitas e fibras e esmaltação translúcida.
A ambientação terá a participação da artista plástica e designer Celeste Heitmann que produziu 11 telas, de 30 cm x 40 cm e 01 tela de 70 cm x 90 cm, em pintura acrílica sobre tela, tendo como tema os Momentos do Círio. Para a ambientação das vitrines foram produzidos displays, também feitos à mão, sob a batuta da sustentabilidade um trabalho primoroso do artesão e empresário paraense Guilherme Júnior, premiado em concursos nacionais quando o tema é inovação.
Peça "Eu fui", de Nilma Arraes | Fotografia: Tereza e Aryanne Fotografia


Processo de criação e produção
O trabalho de criação e produção dos empreendedores começa a partir do workshop inspirações para geração de produtos e consultoria individualizada, oportunidade em que foram gerados 369 projetos de joias para a formação da coleção 2017.
A segunda etapa deste processo compreende a realização da “Feira de Projetos” onde foram comercializados os projetos dos designers para as marcas de joias paraenses. Todas essas iniciativas foram coordenadas pela diretora criativa e designer Rosângela Gouvêa. As joias entram em processo de produção de acordo com os projetos comercializados e/ou financiados pelos designers autores, mobilizando toda a cadeia produtiva e a rede colaborativa criativa do setor de gemas e joias do estado do Pará, compreendendo os segmentos de designers, ourives, lapidários, cravadores, empresários formais e produtores informais.
"Natura Fé" de Felipe Braun | Fotografia: Tereza e Aryanne Fotografia
A partir da representação de alguns símbolos e objetos do Círio de Nazaré como a corda, a Igreja Santuário e a Catedral de Belém, a berlinda, o manto, a coroa, os promesseiro, as velas, as fitinhas de Nossa Senhora de Nazaré, foram criadas 80 joias que integram a coleção gerada por 28 designers, sendo 24 profissionais e 04 estudantes de design e produzidas por 22 marcas de joias paraenses, 18 ourives, lapidários prestadores de serviços e 14 empreendedores informais, totalizando o número de 82 empreendedores do setor de gemas e joias paraenses.
Gesto de criação e fé, a produção desta coleção significa sentimento de uma forte emoção individualizada por cada profissional que participou dessa produção joalheira paraense. São processos intangíveis da criação artística por meio do design que expressam devoção a Nossa Senhora, bem como muitas reflexões sobre as relações de arte, fé e cultura.
A exposição Joias de Nazaré / 2017 “Sentidos de Fé” conta coma a participação das seguintes empresas: Amajoia, Amazon Art – Joias, Hanna Mariah Joias, BL Joias & Acessorios, Celeste Heitmann, DaNatureza, Ednaldo Pereira, Francisca Telvia, Moã-Aran Joalheria, Ourogema,   Rhama Gemas & Joias, Rosa Castro, Tiago Sales, Francileudo Furtado, HS Criações e Design, Ivete Negrão, José Leuan, Joiartmiro, L&B Joias, Lúcia Gois, Yemara Ateliê, Zeus; empreendedores informais: Altairley Mendonça, Bianca Camino, Camilla Amarall, Clara Amorim,Eli Cascaes, Fabio Lima, Francileudo Furtado, Ivam Silva, Jorge Duarte, Leila Vale, Nilma Arraes, Robson Aranha, Rosáurea Simões, Tiago Sales; designers e criadores: Altairlay Mendonça, Bianca Camino, Bianca Kuroki, Brenda Lopes, Camilla Amarall, Celeste Heitmann, Clara Amorim, Eli Cascaes, Erivaldo Jr.,Fabio Monteiro, Felipe Braun, Helena Bezerra, Ivam Silva, Ivete Negrão, Jéssica Carvalho, Jorge Duarte, José Leuan, Joseli Limão, Leila Do Vale, Lídia Abrahim, Nilma Arraes, Rayan Andersen, Robson Aranha, Rosa Castro, Rosáurea Simões, Thalyne Chrystyna Tenório, Thiaraju Gomes e Viviane Gonçalves; ourives: Amajoia, Amazon Art – Joias,      Camilla Amarall, D´Sales, Ednaldo Pereira, Francileudo Furtado, Hélio Thiaraju, Jod Joias, Joiartmiro, Lúcia Gois, Moã-Aran Joalheria, Ourogema, Rhama Gemas & Joias, Sila Brasila, Tiago Sales e Zeus; Projeto Lua Nova: Bianca Camino, Jéssica Carvalho, Thalyne Chrystyna Tenório, Viviane Gonçalves; lapidária: Leila Salame.

Programação
Abertura da exposição Jóias de Nazaré/ 2017 “Sentidos de Fé”: 27/09 | Local: Anfiteatro Coliseu das Artes
18h – Missa
19h – Visitação a exposição
20h – Apresentação cultural do grupo EMUFPA Jazz Trio, da Escola de Música da Universidade Federal do Pará




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Coleção de joias em exposição no stand do Espaço São José Liberto durante a VIII FITA

A designer Lídia Abrahim durante apresenta a coleção "Arqueologia amazônica" no stand do Espaço São José Liberto, na FITA 2017 | Fotografia: Renata Cunha (Ascom/IGAMA)
Está em exposição comercial, no stand do Espaço São José Liberto, durante a Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA) 2017, a coleção “Arqueologia amazônica”, da designer Lídia Abrahim que integra o Programa Polo Joalheiro do Pará. As peças são inspiradas na arte rupestre, gravuras sobre rochas encontradas em sítios arqueológicos e que datam mais de 12 mil anos.
Peças da coleção "Arqueologia amazônica" | Fotografia: Renata Cunha (Ascom/IGAMA)
A coleção já foi apresentada entre os dias 10 e 15 de setembro, em Teresina (PI) durante o XIX Congresso da Sociedade Brasileira de Arqueologia e agora ficará em exposição durante a FITA, que começou ontem, 21, e segue até o dia 24 de setembro, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A designer Lídia Abrahim explica que o seu trabalho de joias com essa temática começou em 2013, quando participou de uma exposição no Museu Paraense Emílio Goeldi, a convite da pesquisadora Edithe Pereira, onde ela mostrou peças inspiradas na arte rupestre de Monte Alegre.
Desde então, a produção de joias segue a linha inspiracional baseada nas pinturas encontradas antigas, se ampliando cada vez mais. Lídia afirma que “a coleção está bem ampla, por isso eu chamo de ‘Arqueologia amazônica’, porque ela não é só de um município, não é só de uma tradição arqueológica, abrange várias regiões”. A coleção soma mais de 30 peças, feitas em prata, com pedras naturais e com a técnica incrustação paraenses em tons próximos do universo de terra, como terracota, vermelho e marrom, voltada para o público masculino e feminino.
Joias, artesanatos e acessórios de moda também estão em exposição comercial na FITA 2017
Fotografia: Renata Cunha (Ascom/IGAMA)
Além do lançamento da coleção “Arqueologia amazônica”, o stand do Espaço São José Liberto também terá comercialização de peças de joias, das lojas HS Criações e Loja Una, itens de moda, como bolsas, colares e sapatos, e artesanato, para apresentar o Espaço ao público que visitar a FITA 2017.  Participam do stand do Espaço São José Liberto as marcas e empreendedores criativos Amazon Art, Hanna Mariah, Yemara Atelier, Amajoia, José Odir, Lúca Goes, Ana Cassia, Francileudo Furtado, José Coelho Lucas, Camilla Amarall, SilaBrasila, Rosaurea Simões, do setor de joias, e Celeste Heittman, Rosa Castro, Nilma Arraes, Ivam Pereira, Ana Ervedosa, Osada Handmade, Madame Floresta do setor de moda.
Com um formato renovado e que promete maior interação com o público consumidor, a Feira Internacional de Turismo da Amazônia reunirá a exposição de produtos e serviços de empresas de turismo e gastronomia, a Vitrine Cultural, com produtos do arranjo produtivo local do programa Alimentação Fora do Lar e produção associada das rotas turísticas, Mostra Gastronômica do Pará e a Oca do Conhecimento, além de palestras e workshops.

Serviço – FITA
De 21 a 24 de setembro de 2017, de 17h às 22h
Pavilhão de feira | Hangar Centro de Convenções da Amazônia




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Alunos do colégio Faama Adventista visitam o Espaço São José Liberto

Alunos do colégio Faama Adventista em visita ao Espaço São José Liberto | Fotografia: Ascom/IGAMA

O Espaço São José Libertou recebeu na quinta-feira, 31 de agosto, o grupo de alunos do convênio do colégio Faama Adventista. Acompanhados do monitor Felipe Thiago Santa Brígida, os alunos conheceram sobre a história do prédio com mais de 200 anos de existência onde, hoje, funciona o espaço multisetorial que promove o desenvolvimento econômico, tendo a cultura como elemento indutor.

O professor de História Ademir dos Santos, que coordenava o grupo de alunos, explicou que objetivo do projeto é trabalhar o aspecto cultural e histórico, fazendo relação com as disciplinas. Para ele, “a visita ajuda na compreensão do conteúdo da prova de vestibular que eles vão fazer no fim do ano”.

No São José Liberto, os alunos puderam conhecer a Capela, o Museu de Gemas do Pará - que reúne um dos mais completos acervos arqueológico e gemológico do Brasil - a Cela Cinzeiro (memorial), o Coliseu das Artes, a Casa do Artesão e o Jardim da Liberdade. A visita fez parte de um roteiro que levou os estudantes a vários pontos turísticos e históricos a cidade de Belém.

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe programação do 5º Festival de Música nas Américas

Anfiteatro Coliseu das Artes |
Foto: João Ramid


O anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto será palco para o Festival Música das Américas nos dias 1º e 02 de setembro com oficinas, palestras e concertos de bandas sinfônicas.  
Na sexta-feira, 01, a programação do Espaço São José Liberto terá oficina de percussão, palestras e apresentação da Banda Sinfônica Rodrigues dos Santos, de São Caetano de Odivelas, Banda Sinfônica das Forças Militares e Banda Sinfônica Antônio Malato. No sábado, 02, haverá concertos da Banda Sinfônica Lauro Sodré, Banda Sinfônica Maestro Vale e encerramento com a Banda Sinfônica de Música das Américas. 
O Festival Música das Américas é uma realização do Governo do Estado do Pará, através da Fundação Carlos Gomes, e Instituto Estadual Carlos Gomes, e conta diretamente com importantes parcerias que objetivam o envolvimento de bandas de músicas regionais e bandas militares. O Projeto ocorre simultaneamente em 4 cidades: Belém, Ponta de Pedras, Vigia de Nazaré e São Caetano de Odivelas, sendo que os eventos finais, com os concertos com todas as bandas, são realizados na cidade de Belém.
Em sua quinta edição, o Festival Música das Américas promoverá várias oficinas musicas, com master classes de flauta, clarineta, saxofone, trompa, trompete, trombone, tuba, percussão e prática de banda sinfônica, com ensaios, oficina de música de câmara, recitais e concertos, de 29 de agosto a 2 de setembro.
O evento é apoiado pela Secretaria de Estado pelo Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (IGAMA) que gerencia o Espaço São José Liberto.

A programação completa está aqui

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe apresentação da Escola de Música da UFPA

Fachada do Espaço São José Liberto | Foto: João Ramid

Na próxima quinta-feira, 31, o Espaço São José Liberto recebe alunos da Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA) dos Cursos Técnicos de Canto Lírico e Canto Coral, além de alguns alunos do curso livre de Canto Lírico, para mais uma apresentação musical na Capela São José, sob a coordenação do professor Milton Monte e participação do professor Humberto Azulay no piano.

No repertório do recital estão composições de Waldemar Henrique, W. A. Mozart, C. W. von Gluck, Benedetto Marcello, A. Scarlatti, Carlos Gomes, G. Bononcini, A. Caldara, Claudio Monteverdi, Georges Bizet entre outros compositores da música erudita. Os aluno que se apresentarão são Ricardo Nascimento, Patrícia Gama, Willian Pereira, Danyelle Freitas, Nilberto Viana, Yvana Crizanto, Otávio Felipe, Patrícia Jeanne e Diego Quadros.


Alunos da EMUFPA | Foto: Divulgação EMUFPA


O primeiro concerto desses alunos ocorreu em 20 de junho, no Auditório da EMUFPA, e teve como tema a execução do 1º Ato da Ópera “L’Orfeo” (1607) de Cláudio Monteverdi. O repertório que será executado é o resultado do trabalho realizado na disciplina Performance de Palco (Correpetição), juntamente com os professores Humberto Azulay e André Gabay. O repertório executado por cada cantor é o adequado para cada estágio de desenvolvimento técnico e musical do aluno em questão, e faz parte das exigências para conclusão dos cursos. 

O evento é uma promoção Escola de Música da Universidade Federal do Pará por meio do Instituto de Ciências e Artes da UFPA com o apoio da Secretaria de Estado pelo Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (IGAMA) que gerencia o Espaço São José Liberto.

Serviço
Apresentação dos alunos de Canto Lírico e Canto Coral da EMUFPA no Espaço São José Liberto
Data: 31 de agosto, 18h
Local: Capela do Espaço São José Liberto
Ascom/IGAMA

        




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Missa na Capela São José será realizada nesta sexta, 25

Capela do Espaço São José Liberto | Foto: João Ramid

A capela São José do Espaço São José Liberto (ESJL) recebe nesta sexta feira, 25, missa comunitária. A celebração acontece a partir das 18h e integra o calendário anual de eventos promovido pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), em parceria com a Paróquia N.Sª da Conceição, em que a Capela São José está subordinada.

Ascom/Igama




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Projeto “Pé na Estrada” visita Espaço São José Liberto

Alunos do Projeto "Pé na Estrada", da Universidade de Brasília, em visita ao Espaço São José Liberto | Fotografia: Ascom/IGAMA

O Espaço São José Libertou recebeu na última sexta-feira, 18, o grupo de alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade de Brasília (UnB), que fazem parte do projeto “Pé na Estrada”, atividade complementar da faculdade a qual os alunos estão vinculados. Acompanhados do monitor Felipe Thiago Santa Brígida, os alunos conheceram sobre a história do prédio com mais de 200 anos de existência onde, hoje, funciona o espaço multisetorial que promove o desenvolvimento econômico, tendo a cultura como elemento indutor.
No São José Liberto, os alunos puderam conhecer a Capela, o Museu de Gemas do Pará - que reúne um dos mais completos acervos arqueológico e gemológico do Brasil - a Cela Cinzeiro (memorial), o Coliseu das Artes, a Casa do Artesão e o Jardim da Liberdade. Para Júlia dos Anjos, uma das graduandas do curso de Arquitetura da UnB, “A visita guiada foi muito informativa, além de manter o grupo coeso e cativado, acreditamos ter aprendido muito. Foi um ponto, um passeio, que compôs e agregou muito valor ao roteiro como um todo”.
O projeto busca estimular novas vivências de espaços estudados em sala de aula, provocar novos olhares e ampliar o conhecimento dos estudantes. As atividades são uma experiência prática que despertam o senso crítico deles em relação à produção arquitetônica e das ações para preservação da memória das cidades brasileiras. Belém foi a primeira cidade da região Norte e “o Espaço São José Liberto não poderia passar despercebido pela Equipe Pé na Estrada, por isso entrou no roteiro de viagem, já que é um espaço representativo de usos e mudanças, rico em história e conteúdo, o espaço foi escolhido para completar o terceiro dia de trajetos.”, conta Júlia.
Além das viagens anuais, o Projeto Pé na Estrada promove outras atividades por meio de suas vertentes, como visitas guiadas na Capital Federal, por meio do 'Pé na Esquina', educação patrimonial para crianças, por meio do 'Pezinho' (Projeto de Extensão Pé no Ensino), além de workshops, palestras, mesas redondas, entre outras atividades por meio do 'Pé com Pé'.                        




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.
Postagens Antigas
Inicio
Contador acessso